Que tipo de escola deseja para o seu filho?

Partilha este artigo

Share on facebook
Share on email

Se você é mãe ou pai, provavelmente deseja a melhor educação para o seu filho, quanto a isso não há qualquer dúvida. Mas a palavra “melhor” pode levar a vários entendimentos diferentes.

O olhar sobre a educação nos primeiros anos está dividido em duas grandes correntes: uma que acredita que devemos “encher” as crianças de conhecimento e tentar formatá-las da mesma forma, para que elas se tornem pequenas pessoas inteligentes e consequentemente adultos de sucesso. E outra corrente que acredita que a infância deve ser preservada – consentindo que a criança tenha prazer de ser criança e compreendendo que esta é verdadeiramente uma oportunidade única na vida.

Se acredita na primeira corrente, pode continuar a sua vida e ler um outro artigo, eu honestamente não quero lhe fazer perder tempo. Mas se acredita na segunda corrente ou se ao menos concorda que tem algum sentido, talvez o que tenho a dizer possa ter interesse para si.

Exatamente como você, eu estava à procura da melhor opção educativa para o meu filho desde a altura da creche/jardim de infância. Era importante para mim que os educadores não “partissem” o seu espirito, permitindo que ele continuasse a ser o rapazinho único que ele é. Felizmente, depois duma grande pesquisa, eu encontrei um jardim de infância que consentia que a criança aproveitasse esta linda fase de brincar, inventar, imaginar e – mais importante que tudo – aprender através da experiência. Cada canto ali era um aprendizado e a música com panelas velhas e outros objetos improvisados estimulavam a imaginação da criança.

Mas agora era tempo da 1ª classe, e como todos os pais, eu sentia-me receoso com a realidade que se aproximava e com o facto de que é esperado que ele e as outras crianças se comportem de determinada maneira, com as longas horas sentados dentro duma sala de aulas, tendo que aprender através da memorização e com o stress dos testes de avaliação que são tão desnecessários nesta idade.

Mesmo contra os meus instintos, eu entreguei esta pequena alma ao sistema da escola pública (ou como eu gosto de chamar à fábrica de aprender) e aquilo que receava tornou-se realidade diante dos meus olhos.

O meu pequenino que adorava ir para o jardim de infância, começou a perder a sua confiança. Ele estava a tentar mostrar à professora o quão único ele é, mas isso foi entendido pela professora como uma necessidade de “endireitá-lo/dobrá-lo” de forma a que ele entrasse no mesmo “molde” das outras crianças. Bem, levou-me 3 meses a perceber que este não era o ambiente onde eu queria que o meu filho crescesse. Foram 90 dias a mais!

Nesta altura, procurei saber mais sobre a educação Waldorf e o seu movimento mundial (escolas em mais de 60 países) para a construção duma nova maneira de educar. Se eu tivesse de resumir numa frase o que é esta educação e quais são os seus objetivos, diria que esta pedagogia procura ajudar as crianças a tornarem-se seres humanos livres e ajudar as crianças a revelar a sua verdadeira identidade e a sua natureza espiritual única.

Esta educação acredita que a criança reage melhor à aprendizagem através da experiência ao invés da memorização, esta visão tem comprovado contribuir para a educação de jovens mais envolvidos com a vida, com maior autoestima e segurança e maior capacidade de aprendizagem, juntamente com outras qualidades como o respeito pela natureza e a nutrição saudável.

UAU! Isto era exatamente o que eu estava à procura!

Com mais de 750 escolas só dentro da união europeia e um reconhecimento da UNESCO como sendo o modelo de pedagogia capaz de responder aos desafios educacionais de nosso tempo, principalmente nas áreas de grandes diferenças culturais, eles provavelmente estão a fazer algo bom – certo?

Procurei uma escola Waldorf na área de Lisboa e acabei por encontrar a Escola Jardim do Monte, perto de Arruda dos Vinhos (tem um autocarro que apanha crianças em Lisboa e Loures). Eu posso contar-lhe coisas maravilhosas sobre esta escola, como o ambiente simples e campestre (é uma quinta), os colaboradores dedicados e simpáticos, as árvores de fruto espalhadas pela escola, turmas pequenas, refeições saudáveis, e muitas canções… oh, as canções!

O meu filho acabou o 1º ano e está prestes a entrar no 2º ano, a melhoria na sua autoestima aconteceu duma forma muito rápida e olhando para trás eu sinto que o salvei de ser mais uma pessoa formatada pelo sistema de educação tradicional.

E você, que tipo de escola deseja para o seu filho?

Duma forma ou outra, desejo-lhe um Bom ano lectivo!

Outros artigos

Atividades

Acampamento nas Colinas do Tejo

Aprender com a natureza é algo que me fascina, para superar isso só mesmo partilhar e ensinar algo aos mais novos, para que também eles tenham a oportunidade de fruir o melhor que o nosso mundo tem…